Rosário




segunda-feira, 15 de setembro de 2008


Rezaria um Rosário para te contemplar,
para te ver face a face,
naquele Reino onde tudo é Luz.
Mas tu habitas distante.
No mundo do breu, do talvez.

Somos tão próximos e assustadoramente distantes...



Um oceano nos separa.
Mais que um oceano!
Talvez a própria presença feita carne
nos separe.

E de alguma forma louca nos une...


Pois te comtemplo,
quase sem poesia,
nevoada,
no mundo das letras, sílabas, das rimas frias,
como num espelho
depois de um banho quente.
Mesmo assim é esplendor de beleza,
é promessa o que vejo,
é sagrado, é sublime.


Quero ver tudo!
Quero ver tudo!
Quero ver o Tudo!

Me ajoelho:

Ave Maria...


1 comentários:

Quatro terços on: 19 de dezembro de 2008 03:29 disse...

Rosário habita no reino da ilusão, onde os seres buscam o nirvana, o êxtase. Ela é o reino do breu, do talvez, e, também da luz. Brilha no meio da escuridão daqueles que vêem nela algo de sublime e encantador, não por ser o que acredita ser, mas por ser o que é. Rezar um Rosário para contemplar Rosário, muito sugestivo.
Rosário é um mar de ilusão em meio à verdade. É real, porém também sonho, mas sonho jocoso, palpável...basta crer e acima de tudo sentir. Sinta o tudo do qual Rosário é. Ela é um clichê “é única e insubstituível”, não possui cópia, é protótipo perfeito em meio a imperfeição. A distância que os separam é corpórea só em sua forma biológica, material, pois potencialmente estão mais que unidos. Talvez a distância que mais os aproxime seja a maior e mais forte, porque esta para além da razão, ela fala ao coração.
Agora irei como dizem, “viajar na maionese”. Vejo antítese e mística para variar, fora outras coisas que meu olhar de águia sonolenta não conseguiu captar. rs
Rosário é luz em meio a escuridão na sua forma contemplativa. Ela é divina? Sim, transcendentalmente, apesar de sua estrutura humana, pois é imagem e semelhança de Deus. É divina porque os seres divinos têm luz e ela possui brilho próprio.
Esse mundo das letras, sílabas e das rimas frias não seria um mundo único, uníssono...Vocês não seriam um em uma mesma pessoa. Loucura! Por que não? Ela não seria você? Quando a contempla no espelho depois de um banho quente? Vocês não se tornariam um por meio da névoa?
Somos diferentes e iguais, beleza e feiúra, homem e mulher, corpo e alma, humanos e desumanos, animais racionais e irracionais, viventes e sobreviventes, sensíveis e insensíveis, quietos e ousados, puros e devassos. Somos tudo, e Tudo isso é o que somos.

 

Pesquisar este blog

Barra de vídeo

Loading...

Copyright © 2015 • Poemas ao vento
Blogger Templates