Ignorância




domingo, 5 de agosto de 2007


Uma desgraça tirou-me da ignorância,
quando vi a morte de inocentes,
quando vi mães chorando os corpos imaculados sem almas,
um soldado tentando ser frio
naquele momento nada frio,
quando vi olhos assustados,
não acreditando no que passou
e como sobreviveram a isso,
quando vi fumaças e chamas
numa escola qualquer,
quando vi corpos enfileirados
e Raquel a chorar seus filhos e
não querer ser consolada,
pois não existiam mais,
foi que descobri que a Ossétia do Norte existe,
que Beslan existe e que a partir
daquela desgraça não seria mais esquecida
e, infelizmente, só seria lembrada por causa da mesma.

5 comentários:

gabriela on: 5 de agosto de 2007 07:41 disse...

oieeeeeeee
adorei esse poema
naum soh esse como os outros tbm
hehe
bjuHs o blog tah lindo!!

pandora on: 5 de agosto de 2007 07:56 disse...

Muito profundo, faz com que se desperte para o outro lado da via!!!!


gostei muito!

^^

R Lima on: 5 de agosto de 2007 13:51 disse...

Foto ficou perfeita rente ao texto.. parabéns!!!


[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Dorian on: 5 de agosto de 2007 15:33 disse...

O pior é que é um fato que se repete e sem perspectiva de fim...

Negão Internauta on: 6 de agosto de 2007 12:44 disse...

O blog não contém o selo do concurso da comunidade "Eu tenho um blog".

Favor regularizar a situação para prosseguir participando.

 

Pesquisar este blog

Barra de vídeo

Loading...

Copyright © 2015 • Poemas ao vento
Blogger Templates