Partida de um amigo




domingo, 12 de agosto de 2007
Quando alguém parte, fica muita coisa.
Esperava, ingenuinamente, que nada ficasse, porém,
às vezes, fica muito mais do que poderia pensar.

É como que digitais invisíveis,
mas sensíveis a olhos atentos.
Olhos que deverão se acostumar com o que foi,

olhos que deverão se acostumar com o que ficou
e ficou tanto, embora tanto e nada se abracem
de uma forma que se apresentam aparentemente inseparáveis.

Fica a falta mais presente e evidente,
ficam lugares que não mais serão ocupados como eram,
ficam vozes perdidas em corredores escuros,

fica a lembrança do sorriso,
ficam quartos desocupados
e histórias separadas,

fica tudo,
fica nada,
fica tudo e nada e mais alguma coisa,
fica a dor do adeus,
a lágrima depois da despedida,
a temerária constatação de que nada será como antes,

ficam objetos encantados pela essência ausente
de alguém que habitou aquela casa com você
e fica, em suma, um gostinho de morte nas papilas gustativas e no coração.

15 comentários:

* BïåNå * on: 12 de agosto de 2007 06:36 disse...

Adorei o post!
Valeu pela sua visita!
Volte sempre q quiser tá?

**Bjs!**

http://bi.a.na.zip.net

R Lima on: 12 de agosto de 2007 07:17 disse...

Encontrei teu blog no orkut e vim te visitar...

Vejo semelhanças como minhas escritas...



[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Cavaleiro da esperança on: 12 de agosto de 2007 07:33 disse...

Despedidas nunca são fáceis.Porém, uma carga de experiências continuam, persistem,pois são imutáveis.Tudo o que foi vivido não desaparece.Aprendemos, amadurecemos...
E viva a vida...

gabriela on: 12 de agosto de 2007 09:31 disse...

oieeeee
olha eu akii
denovo!!
hehe...
muitos do seus poemas estao no meu caderno de caligrafia...
sempre ficaram guardados comigo
hehe...
voh te linkar no meu flog
depois dxo o endereço
bjinhusss
...
=]
=p

Selva de Batom on: 12 de agosto de 2007 11:42 disse...

tudo um dia vai embora msm... o dificil é a saudade... bjos

*.*.*.* Mari *.*.*.* on: 12 de agosto de 2007 12:02 disse...

Adorei..muito bom...estarei por aki mais vezes...

Lucas.C on: 3 de dezembro de 2008 11:05 disse...

Sou professor de literatura , muito simples, lindo e profundo o poema....parabénsss...

LISON on: 30 de janeiro de 2010 19:12 disse...

Saudações!
Que Post Fantástico!
Amiga Ana Claudia, é um poema belíssimo e profundo!
Parabéns pela homenagem!
Parabéns pelo Post!
Abraços,
LISON.

Fernando Monção - on: 30 de janeiro de 2010 20:52 disse...

o Post tá lindo o blog um show...
Pow, parabéns!
É só continuar...do mesmo jeito, ok?
Forte abraço do compadre,
Fernando.

jotapeh9907 on: 31 de janeiro de 2010 00:30 disse...

Existem partidas que preferimos que não acontecessemmas a vida ági por si e não por nossas vontades.
Poema lindo

Leila Franca on: 31 de janeiro de 2010 03:24 disse...

olá,

Gostei muito desse texto. Retrata bem o que acontece quando uma pessoa querida se vai. É algo que parece impossível parar.

bjs

herminio neves on: 31 de janeiro de 2010 15:54 disse...

Quando nos sentimos sós, é porque foi rompido um laço, assim a partida de um amigo, será sempre muito lembrada, e o post é muito bonito, e continue assim.

um abraço,

Herminio Neves.

Sissym on: 31 de janeiro de 2010 19:01 disse...

Belíssimo poema que retrata a falta que sentimos quando alguem parte.
Mas as boas lembranças nunca se vão, ficam conosco para todo o sempre.

Bjs

Bruninha on: 1 de fevereiro de 2010 19:54 disse...

Linda ao poema, adorei


Abraços

JORNALISMO ANTENADO on: 2 de fevereiro de 2010 21:13 disse...

Miga..lindo poema, valeu mesmo a publicação. REalmente é assim quando um amigo parte..mas as memórias estas permanecem em nossos corações.
Parabéns, beijos
Márcia Canêdo

 

Pesquisar este blog

Barra de vídeo

Loading...

Copyright © 2015 • Poemas ao vento
Blogger Templates